Seguro é devido para motociclista que, sem carteira, morreu em acidente - Bastos & Schommer Advogados
717
post-template-default,single,single-post,postid-717,single-format-standard,op-plugin,qode-quick-links-1.0,ajax_fade,page_not_loaded,,side_area_uncovered_from_content,qode-theme-ver-11.1,qode-theme-bridge,wpb-js-composer js-comp-ver-5.1.1,vc_responsive
 

Seguro é devido para motociclista que, sem carteira, morreu em acidente

Seguro é devido para motociclista que, sem carteira, morreu em acidente

Os pais de João Carlos dos Santos Pereira tiveram reconhecido o direito ao recebimento de seguro, após a morte do filho em acidente de trânsito, quando pilotava sua motocicleta sem habilitação. A decisão da 2ª Câmara de Direito Civil do Tribunal de Justiça manteve sentença da 2ª Vara Cível da Comarca de Araranguá, que condenou a Panamericana Seguros ao pagamento de R$ 14 mil, referentes à apólice contratada na época do financiamento da moto.

Na apelação, a seguradora alegou que João aumentou o risco ao pilotar sem habilitação legal. Afirmou, ainda, que o segurado não só agiu com culpa e praticou ato ilícito, como fez indevida qualquer indenização, em face dos riscos excluídos constantes de cláusula contratual. Em seu voto, o relator da matéria, desembargador Nelson Schaefer Martins, rechaçou esses argumentos:

“O segurado que dirige veículo automotor sem habilitação não estaria a praticar ato ilícito e sim mera infração de trânsito, punida com multa e apreensão do veículo”.

O relator registrou também que o simples fato de o segurado não ser habilitado não induz à presunção de culpa pelo acidente (AC n.º 2008.033611-2).

Fonte: Tribunal de Justiça de Santa catarina